Politécnica nº 15


Editorial: O título de Especialista
João de Freitas Ferreira

Turismo e cultura. estudo ao perfil do visitante cultural do centro histórico de Guimarães
Ana Paula Cabral, Ângela Teixeira, Áurea Rodrigues, Fernando Florim de Lemos e Tânia Cristina Vidal Pinho.
Numa era em que o turista se torna cada vez mais exigente torna-se pertinente estudar o perfil do visitante e da sua percepção face ao local visitado para se poder adequar correctamente a oferta à procura. Segundo Swarbrook e Horner (2002) conhecer o comportamento do consumidor é decisivo para o êxito da actividade de marketing. Este estudo apresenta os resultados de um estudo dirigido ao turista cultural da Cidade de Guimarães, Portugal. Com base numa análise das características demográficas e sócio-económicas, motivações para a visita, comportamento que antecede a viagem, comportamento do visitante na área de destino e grau de satisfação verificou-se que se tratam de adultos jovens, em idade activa, com um nível de educação consideravelmente elevado, que permanecem na cidade por um curto período de tempo, mas que ficam bastante satisfeitos com a experiência da visita e guardam uma imagem bastante positiva do local.

Álcool e Suicídio: Uma Relação Evidente
Miguel Ângelo F. M. Valério
Este artigo, inicialmente produzido para o módulo de psicopatologia forense da pós-graduação em intervenção social – vertente criminologia do ISPGaya – tem como objectivo proceder a uma revisão bibliográfica de estudos que abordem a relação entre o consumo/dependência de álcool e a prática de comportamentos suicidários, tendo-se verificado uma associação entre o consumo de álcool e o suicídio, a ideação suicida e a gravidade das consequências.

Fluxos, desenvolvimento e estratégias de construção de uma política social nacional em torno das novas tecnologias de informação e comunicação
José Carlos Morais
Este artigo constitui uma reflexão sobre questões de desenvolvimento que se colocam ao nosso país num momento de reconfiguração internacional de lógicas, tecnologias e processos produtivos. O Estado-providência dilui-se dando lugar a novas gestões públicas, o terceiro sector encontra legitimidade para uma reafirmação. Repensar as polarizações planetárias e formas de assegurar posições na lógica de fluxos que caracteriza a ‘rede’ mundial são desafios ao desenvolvimento nacional que obrigam a uma abordagem de dissonâncias presentes entre as instituições estruturantes: ‘família’, ‘escola’ e ‘trabalho’. Propõe-se uma análise que dirigida a recém-licenciados na área da informática como informadores privilegiados de (re) configurações económicas, sociais e políticas em Portugal.

A Gestão de Organizações sem Fins Lucrativos: Realidades e Desafios
Preciosa Patacho e Patrícia Silva
As Organizações Sem Fins Lucrativos representam a grande fatia de estruturas que prosseguem uma missão de apoio e intervenção social. A especificidade da sua missão, o enquadramento em relação à tutela, a escassez de recursos e os Corpos Sociais condicionam a forma de gestão destas organizações. Abordar a realidade existente, as relações que se estabelecem entre os diversos organismos do sector social, o papel dos dirigentes e técnicos sociais bem como a consciência sobre a gestão social no Terceiro Sector, as lacunas existentes e o papel da formação são aspectos evidenciados.

Dos Grafos e Suas Aplicações (II)
Maria Rosário Moreira
No artigo sobre grafos desenvolvido na Politécnica nº11, considerou-se o famoso problema de Euler. Esse problema pretende determinar um percurso que passe por cada uma das pontes uma e uma só vez, o que em termos e grafos significa passar uma e uma só vez por cada aresta. Neste artigo iremos ver a estrita relação entre as leis de Kirchhoff e a teoria dos grafos.


Problemas e Curiosidades
Joaquim Albuquerque de Moura Relvas